terça-feira, 16 de dezembro de 2014

ORÁCULO




Quieta coruja do bosque negro,
onde o azul-indigo e o verde gaio?
Nos teus rios? No monte grego?
Ou na Fenicia praia?

Agora, tarde. Mas, ontem, cedo.
Árvore exausta. Cansado remo.
Clássica luz de maio.

Ah! fuga antiga! Nas águas crespas,
oscilam juntos Polibio e Laio.
Sempre serpentes bebendo
estrelas.
E um vento que desmaia.

Dança Eufrosina por cinzas Tênues.
E a transparente sombra de Tália
move na areia seus vãos desenhos.
-Só nas nuvens Aglaia!

Cecília Meireles,
in Vaga Música