terça-feira, 6 de janeiro de 2015

O RIO QUE ME PERCORRE...




O rio que me percorre já não transborda
Passou a época das chuvas lacrimais
As águas correm lentas, as margens observam
Ouve-se novamente o som da floresta
Plantas crescendo lentamente
Os frutos podres caindo por terra
Não há nada de novo ou de velho
O tempo deu consciência á minha tristeza



Martha Medeiros