sexta-feira, 11 de abril de 2014

CANÇÃO



Esse mar tanto sulcado
por meus avós navegantes,
fugindo das praias de antes
ficou dentro em mim guardado.
Pois quanto mais alto e fundo
e perdido é o sonho, vejo
que os barcos todos do mundo
navegam no meu desejo.

Tasso da Silveira
Poemas de Antes – l.966 –