quinta-feira, 11 de abril de 2013

PONTA SECA



Remendo o coração, como a andorinha
Remenda o ninho onde foi feliz.
Artes que o instinto sabe ou adivinha...
Mas fico a olhar depois a cicatriz. 

Miguel Torga
In: Antologia Poética.