sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

VELHICE



 
Uma folha morta.
Um galho, no céu grisalho.
Fecho a minha porta.

Guilherme de Almeida