quinta-feira, 3 de julho de 2014

COSMO



Na catedral constelada,
sobem leves nebulosas,
do turíbulo da noite.

Ondas incansáveis
de espaço-tempo
se quebraram, em silêncio, aos pés de Deus.


Helena Kolody
in ‘Luz Infinita’