quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

PEIXES




Sob a noite imensa,
luz é um grito ao longe.
Tudo o mais é a treva
em que laboramos,
peixes transitando
num quinhão de pranto
do infinito oceano,
sob a noite imensa,
olhos espantados
para cima, guelras
o negror filtrando.

Peixes metafísicos
arranhando o abismo,
nossos olhos brancos
cega-os o invisível.

Anderson Braga Horta
In Marvário (1976)