segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

POEMA



A alma que nasce em nós quando nascemos
é a mesma que nasce em nós quando morremos?

E quando em nós tudo se esvai, se esquece,
quem sabe se um outro sol é que aparece?

Ah, o sol que nasce em nós quando nascemos
que a todo instante temos, e não vemos,
será a luz de Deus, quando morremos?

E só então nós nos revelaremos
nos círculos mais fundos onde ardemos?

E só então, no escuro, nos veremos?



Alphonsus de Guimaraens Filho
In O Tecelão do Assombro