sábado, 4 de outubro de 2014

O ADOLESCENTE




A vida é tão bela que chega a dar medo.

Não o medo que paralisa e gela ,
Estátua súbita,
Mas

Esse medo fascinante e fremente de curiosidade que faz
O jovem felino seguir para a frente farejando o vento
Ao sair pela primeira vez, da gruta.

Medo que ofusca: luz!

Cumplicemente,
As folhas contam-te um segredo
Velho como o mundo:

Adolescente, olha! A vida é nova...
A vida nova e anda nua
Vestida apenas com o teu desejo!


Mário Quintana
In apontamentos de história sobrenatural