sexta-feira, 3 de outubro de 2014

PÁGINA




Entre mil jorros de arco-íris e entrelaçados arroios
entre mil flóreos turbantes e faixas vermelhas
e rendas de jaspe e chispas de pássaros
e coleções de flores nunca vistas,
_um sorriso brilha,
um gesto pára desenhado
e uma palavra se imprime.

É uma figura, apenas,
na riqueza prolixa
da imensa tarde oriental.

Entre arabescos de mil voltas,
um verso antigo.

Uma palavra imortal, sózinha.

E o resto, a farfalhante floresta
da intricada moldura.

Cecília Meireles,
in Poemas escritos na Índia