sábado, 4 de outubro de 2014

SILÊNCIO. SOLIDÃO. SERENIDADE



"Quero morrer na selva de um país distante...
Quero morrer sozinho como um bicho!

Adeus, Cidade Maldita,
Que lá se vai o seu poeta. 

Adeus para sempre, Amigos...
Vou sepultar-me no céu!

E todos estes que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!"


Mario Quintana
Esconderijos do Tempo - 1980